Caso não consiga visualizar corretamente esse e-mail, copie e cole o link em seu navegador:
http://www.glassecviracon.com.br/bv/62/index.html
GlassecViracon Outubro 2018 - EDIÇÃO Nº 62  
Boletim do Vidro
 
 
Destaque do Mês
 
   
A solução para a quebra espontânea
 
Os vidros temperados são os vidros processados mais consumidos no Brasil, com quase 29 milhões de metros quadrados produzidos em 2017. Esses números expressivos, contudo, ainda são impactados pela estimativa histórica de aproximadamente 0,5% de risco de ocorrer quebra espontânea, com perdas e outras implicações indesejáveis para usuários do produto.

 
A quebra espontânea ocorre devido à presença de partículas de sulfeto de níquel (NiS) na massa do vidro float, que não são visíveis e portanto não são detectáveis durante o seu processo de fabricação.

“Para reduzir o risco de quebras espontâneas, os vidros temperados podem ser tratados termicamente pelo processo de Heat Soak Test (HST)”, afirma Daniel Scarpato, diretor Industrial da GlassecViracon.

A empresa já instalou o equipamento para a realização desse ensaio térmico em sua planta, em Nazaré Paulista, e será a única processadora a aplicar essa tecnologia no Brasil.
 
COMO FUNCIONA O HST
No processamento HST, o vidro temperado é aquecido a 260 ºC e deve permanecer nessa temperatura por duas horas. Caso exista a presença de NiS, as partículas se expandem devido à variação de temperatura, levando o vidro a quebrar-se espontaneamente dentro do equipamento.

Segundo Scarpato, com esse ensaio “é possível reduzir drasticamente o risco de quebra espontânea de um vidro temperado depois de instalado, evitando-se acidentes, custos com trocas e demais inconvenientes”.

   
 
    PRINCIPAIS APLICAÇÕES
Os maiores danos referem-se sempre aos casos em que os vidros são apenas temperados, quando uma eventual quebra pode deixar o vão de instalação aberto, gerando risco de segurança e interdição no entorno.

Já no caso de laminados temperados, uma das lâminas manterá a integridade do vidro no vão, minimizando os problemas e permitindo que a troca seja feita de forma mais planejada.

Dessa forma, as aplicações de temperados com tratamento HST destinam-se a todos os casos em que o vidro se comporta como elemento estrutural, como guarda-corpos, fachadas tipo Spider, portas, pisos, boxes e fechamentos de grandes vãos.
 
PRÁTICA INTERNACIONAL
Na Ásia, na Europa e nos Estados Unidos, o HST é largamente utilizado para evitar riscos de quebra e acidentes. Para Marcelo Martins, diretor Comercial da GlassecViracon, “trata-se de um equipamento fundamental para nos qualificar para o fornecimento nessas regiões”.
   
 
“Na Ásia, os vidros temperados são considerados de segurança somente quando passam por HST. Aqui no Brasil, o vidro temperado e o laminado temperado são muito populares e largamente aplicados por questões de segurança”, diz. “No entanto, além do custo de reposição, há muitas situações em que as quebras podem gerar insegurança, pânico ou estresse e são perigosas para os usuários”, explica o diretor. “O conceito de vidro de segurança precisa ser mais divulgado e aplicado no Brasil”, avalia.

“Entendemos que muitas vezes o cliente adquire um vidro temperado como elemento de segurança, e o HST é a segurança que o produto funcionará como esperado ou projetado”, conclui Martins.
 
Produto
 
Aplicações do temperado
 
De acordo com a NBR 7199 — Vidros na construção civil: Projeto, execução e aplicações, os vidros temperados comportam as seguintes aplicações:
 
PORTAS, VITRINES E DIVISÓRIAS
Os vidros instalados abaixo de 1,1 m em relação ao piso devem ser de segurança, independente do pavimento, incluindo o temperado.

ENVIDRAÇAMENTOS PROJETANTES MÓVEIS
No térreo e 1º pavimento: o temperado pode ser autoportante ou totalmente encaixilhado.
Acima do 1º pavimento: o temperado deve ser totalmente encaixilhado e com projeção máxima limitada a 250 mm da face da fachada ou da aba de proteção.

FACHADAS (VIDROS VERTICAIS)
Abaixo de 1,1 m em relação ao piso, o temperado pode ser aplicado no pavimento térreo.
   
 
Baixe o aplicativo GlassecViracon
  Site Facebook YouTube Linkedin E-mail GV   Imprimir VERSÃO PARA IMPRESSÃO
PUBLICADO POR GLASSECVIRACON • DIRETORIA DE MARKETING: Claudia Mitne • DIAGRAMAÇÃO: Arbore Editoração
 CONTEÚDO: Auris Produções e Comunicações • JORNALISTA RESPONSÁVEL: Silvana Afram (MTb 14.950)
Para que sua mensagem não caia na caixa de SPAM, adicione contato@glassecviracon.com.br à sua lista de contatos.