Caso não consiga visualizar corretamente o conteúdo desse e-mail, copie e cole o link a seguir em seu navegador: http://www.glassecviracon.com.br/bv/28/index.html
 

O vidro como estrutura

Transparência, versatilidade, desempenho térmico e acústico, segurança, sustentabilidade. Se hoje esses atributos estão associados ao vidro de forma inquestionável é porque a engenharia, a arquitetura e a indústria de transformação do produto foram protagonistas incansáveis em viabilizá-los. E se, ao conjunto dessas propriedades, acrescentarmos a função estrutural do vidro, o resultado pode parecer um desafio às próprias leis da física.

Para o engenheiro Raimundo Calixto, do escritório cearense RCM — responsável por projetos estruturais de obras em diferentes regiões do país —, quando o vidro é aplicado de forma adequada “pode desempenhar com eficiência funções estruturais anteriormente não concebidas por arquitetos e engenheiros”.

 
 

Quais as vantagens do uso estrutural do vidro para que essa aplicação se tornasse cada vez mais presente na arquitetura?
A palavra vantagem talvez não retrate os ganhos que um projeto pode ter quando o vidro é aplicado corretamente como elemento estrutural ou simplesmente na vedação. O vidro é um material transparente, sustentável, com grande aplicação na arquitetura em todas as épocas. Quando empregado de forma apropriada, pode desempenhar com eficiência funções estruturais anteriormente não concebidas por arquitetos e engenheiros. O conhecimento sobre o vidro e suas possibilidades — quando o produto é transformado em componentes para constituir o conjunto estrutural — é a “chave” para despertar a criatividade do emprego desse magnífico material na arquitetura.

Você participou do Glass Performance Days, realizado em junho, na Finlândia. Que novidades tecnológicas foram apresentadas para a aplicação de vidros estruturais?
Na condição de participante de várias edições do GPD, o que mais procuro são as evoluções nas tecnologias já disponibilizadas. Como o evento é global, os centros de tecnologias e empresas veem determinadas técnicas de formas diferenciadas, potencializando produtos e soluções já conhecidos, tais como adesivos estruturais, dispositivos para fixação pontual de painéis, novas técnicas para vidros moldados, entre outros. Nas sessões de casos apresentados por profissionais renomados de grandes empresas, pudemos identificar as tendências para diversos tipos de aplicação estrutural, sempre tendo a eficiência energética como norteadora, principalmente em casos de fachadas e claraboias.

Você poderia comentar a função do intercalário na aplicação estrutural do vidro?
A técnica da laminação é muito importante para a viabilização estrutural dos componentes do vidro. Hoje, intercalares estruturais já são encontrados com facilidade no mercado, mas é sempre bom lembrar que, para cada aplicação estrutural, um determinado intercalar pode atender bem a um custo-benefício mais atraente. Em outras palavras, os intercalares estruturais não vieram para substituir os PVBs tradicionais de forma generalizada.

Você gostaria de comentar outro aspecto relevante sobre o tema?
Gostaria de chamar a atenção de arquitetos e engenheiros atuantes na área de aplicação do vidro arquitetônico de que pouco adianta um projeto com estética sofisticada e projeto estrutural avançado, se não houver em toda a cadeia, englobando a empresa instaladora, uma sintonia fina com discussões pormenorizadas sobre novos detalhes propostos, testes, se necessários, assim como mock-ups de partes consideradas mais complexas. A economia de etapas não devidamente dominadas pode resultar em uma péssima apresentação de propostas inovadoras, comprometendo o seu emprego em aplicações futuras.

 
 

O papel do intercalário

Fachadas e coberturas com vidros estruturais estão presentes em parte expressiva do portfólio da GlassecViracon. A seguir, Daniel Domingos, da Eastman, e Vanessa Santos, da Kuraray, relatam as características dos intercalários estruturais fornecidos por essas empresas para o processamento de laminados da GlassecViracon.

 
 

Daniel Domingos, representante sênior da Eastman

As películas estruturais da série DG oferecem rigidez, design apropriado para o comportamento pós-quebra, excelente estabilidade de borda e altos níveis de adesão da película ao vidro em toda a montagem. Sua maior capacidade de resistência permite o uso de peças maiores, ou vidros mais finos e leves. Quando aplicado adequadamente, o Saflex® DG mantém o vidro intacto em uma ampla gama de temperaturas, mesmo após impactos. Esse produto também pode ser laminado com outros PVBs da Eastman, como os da linha de cores Vanceva, para proporcionar um desempenho estrutural com uma ampla gama de cores.

 
 
 

Vanessa Santos, especialista em projetos da Kuraray South America

O SentryGlas® destina-se a aplicações em vidros estruturais devido às suas potentes características de resistência e deflexão, que possibilitam o uso de laminados mais finos e leves, bem como uma performance pós-quebra segura. Em aplicações externas oferece menor risco de delaminação, aumentando a durabilidade das bordas expostas. Oferece também maior claridade, pois sua cor é menos amarelada que o PVB padrão.

 
 
 
Para que sua mensagem não caia na caixa de SPAM, adicione contato@glassecviracon.com.br à sua lista de contatos.